Mulheres na tecnologia: como diminuir a desigualdade de gênero no setor

A área de TI carece da presença de mulheres e é urgente as empresas fazerem ações para mudar essa realidade

mulheres-na-tecnologia

Desde sempre, as mulheres precisam lutar para terem seu espaço dentro da sociedade. No mercado de trabalho essa batalha é ainda mais árdua e desleal, agora imagina quando se fala em mulheres na tecnologia?

O setor de TI, dominado por homens em sua maioria, conta apenas com 20% das vagas ocupadas por mulheres, mesmo sendo o público feminino o que mais busca capacitação e formação superior.

Tendo conhecimento dessa disparidade, muitas empresas e escolas de programação vêm organizando cursos e imersões com foco na formação de mulheres, com o intuito de tornar o setor mais diverso.

Sem dúvidas, está mais do que na hora da gente ter mulheres na tecnologia e acabar de vez com esse estereótipo do profissional de TI ser o homem, geek, super inteligente e introspectivo. 

Diante dessa realidade, qual seria o caminho para tornar o setor mais inclusivo para as mulheres? É sobre isso que vamos falar a seguir. Vem com a gente! 

Mulheres na tecnologia: o setor precisa delas 

Já parou pra pensar que apenas no Brasil 152 milhões de pessoas usam a internet? Os dados são da TIC Domicílios 2020, pesquisa realizada pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação – Cetic.br. 

As informações correspondem ao período entre 2020 e 2021 e representam 81% da população no país. As mulheres passaram a usar mais a internet nos últimos anos, representando 85% da amostra, que antes era de 73% entre o público feminino.

A internet, assim como aplicativos e ferramentas tecnológicas são escritas por códigos de programação, criados por homens em sua maioria. Isso significa que, apesar de serem usuárias assíduas, as mulheres não participam da produção tecnológica que é criada anualmente.  

Sabemos que o mercado de trabalho, de maneira geral, privilegia homens, porém, esse cenário é ainda mais preocupante dentro do setor de TI. Boa parte se dá pelo próprio estereótipo de que homens tendem a gostar mais de tecnologia. 

Além de ser uma visão extremamente pequena e limitadora, não condiz com a realidade, uma vez que as mulheres estão cada vez mais se aventurando em áreas que antes apenas os homens ocupavam.

O setor precisa delas, não apenas para tornar o mercado mais igualitário, mas para ampliar visões, aprimorar e continuar a crescer de forma inovadora. E nisto, sabemos que as mulheres têm muita capacidade e empatia para se pensar no coletivo.

E o que é a tecnologia se não desenvolver melhorias que ajudem a facilitar a vida das pessoas? Fica a reflexão!

O que fazer para ter mais mulheres na tecnologia 

Apoiar e incentivar mulheres a entrar na área de tecnologia se faz necessário para o desenvolvimento da indústria como um todo. 

Empresas, gestores, setores de recursos humanos, escolas de programação e recrutadores podem dar o primeiro passo através de ações simples, mas extremamente efetivas e benéficas. Vejamos algumas delas:

1 – Criar vagas exclusivas para mulheres em TI

Empresas de recursos humanos e empresas especializadas em recrutamento, devem refletir sobre a criação de processos seletivos que visam a contratação especificamente de mulheres, seja para cargos de liderança, para atuarem como programadoras, fazer gestão de projetos entre outros.

Isso fortalece e incentiva as candidatas a ingressarem em um processo que tem foco exclusivo nelas, proporcionando a elas mais segurança.  

2 – Realizar imersões e capacitações com foco no público feminino

Algumas empresas já vêm realizando cursos e capacitações exclusivas para mulheres, como é o caso da Magalu, por exemplo, e da escola PrograMaria, além de outras. Mas, ainda é preciso mais atenção neste quesito para fortalecer a educação e capacitação de mulheres na tecnologia. 

3 – Adotar uma cultura organizacional  mais inclusiva

Imagine uma empresa em que a maioria dos colaboradores são homens. Agora, imagine os desafios que uma mulher enfrenta ao adentrar neste ambiente. Ela pode sofrer hostilidade, ser alvo de chacotas e até de assédio.

Por isso, é fundamental avaliar e refletir sobre como a cultura organizacional está desenvolvida. Ela tem programas de apoio às mulheres? O ambiente de trabalho está estruturado para ser benéfico para as pessoas? Elas se sentem à vontade ou atuam com uma equipe tóxica? Fazer avaliações e pesquisas periódicas é um dos passos para melhorar a  cultura organizacional.  

4 – Educar e sensibilizar colaboradores homens 

Procure fazer ações de sensibilização com os funcionários a fim de falar sobre comportamento e postura que a empresa exige para com as mulheres. 

Incentive um comportamento cordial, respeitoso e sem hostilidade para que as mulheres possam sentir que a empresa se preocupa com elas. 

5 – Promover equidade salarial

Outro ponto para diminuir a desigualdade de gênero na tecnologia é repensar os salários. Na sua empresa, por exemplo, uma mulher e um homem com o mesmo cargo ganham salários iguais?

De acordo com um estudo realizado pela Catho em 2021, as mulheres no setor de tecnologia ganham até 11% a menos que homens. Não é hora de promover a equidade salarial? 

Além disso, é preciso que as empresas reconheçam o papel e a importância das mulheres na tecnologia e façam ações urgentes para tornar o setor menos desigual. 


Parcerias: Curso React Direto ao Ponto