O home office veio para ficar? Confira empresas que adotaram o modelo

Em meio à pandemia, o home office ganhou força e se mostrou sustentável.

Há não muito tempo, trabalhar de casa fazendo home office parecia apenas um sonho distante para muitos trabalhadores e também um pesadelo para muitas empresas que achavam que esse tipo de modelo era impraticável.

Contudo, a crise mundial causada pela pandemia do Coronavírus fez com que a adoção desses moldes fosse algo imprescindível para que as empresas seguissem funcionando.

Qual foi a surpresa de muitos quando perceberam que adotar o home office se mostrou uma prática extremamente vantajosa e benéfica, tanto para a empresa quanto para os colaboradores.

Então, a seguir vamos conhecer um pouco mais sobre as empresas que adotaram o home office, o modelo híbrido e também aquelas que pretendem retomar suas atividades ainda esse ano!

O home office veio mesmo para ficar?

Durante o período de pandemia mundial, muitas empresas se viram obrigadas a operar no modelo de home office, ou seja, cada colaborador na sua própria casa, suspendendo o trabalho presencial por um longo período.

Passado esse tempo necessário para a adaptação do novo modelo, a surpresa foi grande, tanto para as empresas quanto para os funcionários, que perceberam as inúmeras vantagens que esse tipo de sistema pode oferecer.

Assim, uma situação que antes era impensável para a maioria começou a ganhar contornos mais realistas, tornando-se uma forte possibilidade.

Do total de grandes empresas que adotaram o home office, a estimativa é de que apenas 50% retomarão as operações de forma presencial. Pode parecer um número pequeno, mas considerando grandes corporações, essa é uma soma significativa.

O Magazine Luiza, por exemplo, está desde agosto de 2020 funcionando no modelo híbrido. Isso porque a companhia identificou que muitas tarefas ainda precisavam ser feitas presencialmente, enquanto outras não.

Entretanto, com o avanço da vacinação, a frequência de comparecimentos à sede está aumentando a cada semana, lembrando que, quem optou por ir à empresa devia fazer um PCR por semana, a fim de evitar a contaminação em massa.

Além disso, claro, o uso de máscara e o distanciamento social também estão sendo seguidos adequadamente.

Esse é apenas um exemplo de como até mesmo as grandes corporações estão se adaptando aos novos tempos.

Empresas que adotaram o home office ou o modelo híbrido

Vamos conhecer outras empresas que adotaram o home office ou o modelo híbrido:

  • BRQ Digital Solutions: depois de constatar que 50% dos funcionários se sentiam mais produtivos em casa e 72% consideram ter mais qualidade de vida, adotou o modelo remoto também.
  • LafargeHolcim: colocou 1,5 mil colaboradores em trabalho remoto e espera uma economia de R$2 milhões ao ano com isso.
  • Petrobras: 50% da equipe da área administrativa pode optar pelo trabalho remoto permanentemente.
  • Twitter: uma das pioneiras e que já adota o trabalho remoto de forma permanente.
  • Xerpay: 94% dos colaboradores da empresa se sentiam mais produtivos ao trabalhar remotamente, então, adotou o modelo híbrido, deixando a cargo do trabalhador escolher se quer ir à empresa ou trabalhar de casa.
  • XP Inc.: desde junho de 2021 deu a opção de adotar trabalho remoto permanente e horários flexíveis, disponibilizando todos os equipamentos necessários aos colaboradores.

E os colaboradores, querem voltar ao trabalho presencial?

Não se pode falar por todos, afinal, são muitas realidades diferentes e algumas pessoas até preferem mesmo o trabalho presencial. Isso vale especialmente para aquelas que não conseguem ter um espaço reservado para o trabalho, dividindo o ambiente com filhos, pais, barulho e distrações.

Contudo, também é grande o número de trabalhadores que estão se negando a voltar ao trabalho presencial agora em 2022 com a retomada das atividades de suas empresas.

O fato é que o cenário da pandemia está retrocedendo e a vacinação avançando, fazendo com que a pressão de muitas empresas aumente sobre os funcionários para retornarem aos escritórios.

A resistência por parte dos colaboradores vem do fato de que o ano que passou mostrou que muitas tarefas podem ser feitas de qualquer lugar, evitando trânsito, engarrafamento, longos períodos de deslocamento, aglomerações, fora outros gastos como maquiagem e roupas, que também devem ser considerados.

Foi o caso de Portia Twidt, pesquisadora especialista em compliance, que foi contratada em fevereiro de 2021 para trabalhar remotamente. Alguns meses depois, começou a ser incentivada a trabalhar presencialmente e a gota d’água veio quando ela foi chamada para uma reunião presencial que teria a duração de apenas 360 segundos.

Ela teve que vestir-se, arrumar os dois filhos, levá-los a uma creche, dirigir até o escritório para ter uma breve conversa que, realmente, durou apenas 6 minutos. Depois disso, ela pediu demissão!

Para Portia, alguns superiores menos familiarizados com o trabalho remoto também podem estar ansiosos pela retomada do trabalho presencial pela necessidade que sentem de recuperar o controle mais rígido sobre os colaboradores.

Ainda há muito essa ideia de que “se eu não estou vendo, eles não estão trabalhando”, que é bastante ultrapassada, de fato.

Claro que ainda é um tanto cedo para dizer como será, com certeza, o ambiente de trabalho no mundo pós-pandemia, afinal, ela ainda não acabou. 

Contudo, é fato que novos contornos já estão se desenhando e muitas pessoas não aceitarão mais a obrigatoriedade de que o trabalho tem de ser presencial.

Aplicativos de gestão para empresas em modelo híbrido

Os modelos híbridos eletivos também ganham força nesse cenário, fazendo com que a empresa se mostre muito mais flexível às necessidades de seus colaboradores.

Estudos mostram que 39% dos norte-americanos pensam em pedir demissão caso seus empregadores não sejam flexíveis a respeito do trabalho remoto.

Contudo, as empresas que aceitam essa opção, tiveram a vantagem de poder diminuir suas instalações, diminuindo muito os custos de manutenção.

Então, uma empresa com 500 funcionários, agora pode oferecer apenas 200 postos de trabalho presencial, que será usado apenas por aqueles que, por qualquer motivo, preferem ir ao escritório naquele dia.

Nessa situação, o mercado de TI vem inovando novamente com os aplicativos de gestão que também podem ajudar. Um ótimo exemplo é o caso do “Where”, que permite aos colaboradores reservarem um posto de trabalho no dia em que desejam comparecer presencialmente.

Isso ajuda a empresa a reduzir custos com espaços de trabalho mais enxutos, flexibiliza o trabalho para seus colaboradores e todos ganham em produtividade. 

Agora já conhecemos as empresas que adotaram o home office. Se você, por outro lado, deseja que o mundo todo seja seu escritório, confira nosso artigo de profissões para quem quer ser nômade digital.