Desenvolvedor de software, uma profissão do presente

A profissão do desenvolvedor de software teve alta procura nos últimos anos e deve continuar assim por algum tempo

Desenvolvedor de software, uma profissão do presente

Já ouvi os videntes falarem das profissões do futuro e os saudosistas das profissões do passado, mas é complicado falar de algo estando de fora, ou pior, se ainda não aconteceu, então é mais fácil falar do presente e da profissão pela qual tenho tirado meu sustento nos últimos anos, o desenvolvedor de software.

O desenvolvedor de software tem tido alta procura nos últimos anos e deve continuar por algum tempo, por quanto tempo eu não arrisco dizer. Se tem algo que já percebi na humanidade é que não somos bons em prever o futuro.

Tirando o futuro de lado, pois este eu deixo para os videntes, temos o passado que é ótimo para ter base histórica, dados precedentes e tudo mais, mas também não nos dá o mapa com o caminho certo a percorrer, pois as coisas mudam, a maré sobe, o vento troca de direção e a vida continua.

O presente e a crise

Nos sobra o presente que não está dos melhores, escrevo no final de 2017 e estamos com uma taxa de desemprego na casa de 13,7% da população, se você não sabe, isto significa algo próximo de 15 milhões de pessoas, para se ter uma idéia comparativa, isto seria mais da metade da população da Austrália, ou pior, toda a população de Portugal.

Estamos sim em uma crise profunda e o pior é que não conseguimos saber em que ponto estamos, parece estar melhorando, mas será mesmo? Pode piorar? Pode ficar assim por muito tempo?
Ótimas perguntas, mas eu não tenho as respostas.

Este é o cenário atual, não lembro de outra época onde tanta gente conhecida passou por situação de desemprego ao mesmo tempo.

O curioso é que durante todo esse tempo de recessão, desde meados de 2014, continuo recebendo contato de pessoas cujas empresas estão contratando desenvolvedores, as empresas de tecnologia continuam com vagas abertas e pelo que parece vão continuar assim por algum tempo.

Mas que fenômeno é este?

Na verdade são dois, o primeiro é que é muito difícil encontrar mão de obra qualificada, o segundo é que se as empresas estão crescendo, assim vão precisar de mais profissionais.

É aí que a conta não fecha, se a empresa demora meses para preencher uma vaga de especialista, quando conseguir, outras duas já abriram.

A história se repete com várias empresas, dentro e fora do Brasil, sou de São Paulo e já passei por um número de empresas trabalhando neste mercado, posso dizer que 90% delas estão contratando desenvolvedores neste momento. Mas não se desespere, pois ao que tudo indica, elas vão continuar contratando.

Isso vai durar para sempre?

Não sei dizer até quando vai, mas esteve assim nos últimos 10 anos e continua no momento em que escrevo.

O fato é que o mundo precisa de mais desenvolvedores, não é exagero, existem campanhas em outros países para que mais pessoas e até crianças comecem a programar, nutrindo assim o interesse pelo assunto.
Veja o Code.org por exemplo.

Todos sabemos que a tecnologia veio para ficar, usamos diariamente mais e mais recursos, aplicativos, websites e serviços automatizados, mas já parou para pensar quem está fazendo tudo isso?

Quem fez o Google, a Apple, o Facebook, Twitter, Whatsapp, Waze, Uber, Tinder ou qualquer outro aplicativo, website ou serviço que você usa diariamente?

Pois é, algum, ou melhor, alguns desenvolvedores de software, vários deles no caso de empresas maiores.

Essas empresas estão crescendo, novos concorrentes estão chegando e todos precisam de mais desenvolvedores.

Então não existe desenvolvedor de software desempregado?

Deve existir, mas com certeza não é por falta de vaga.

O fato é que o mercado é muito vasto, as especialidades são muitas e os requisitos muitas vezes são altos.
Mas há também a questão dos bons hábitos, bons métodos, comportamento e cultura de trabalho (desenvolvimento).
Isto tudo conta na hora de preencher uma posição.

Para quem não sabe, a mão de obra dos brasileiros especializados nesta área é de ótima qualidade, não é a toa que cada vez mais empresas internacionais estão contratando nossos desenvolvedores, ou seja, assim como eles precisam lá fora, vamos continuar precisando aqui em nossas terras também.


Parcerias: Curso React Direto ao Ponto