Como mudar hábitos e ter uma rotina mais produtiva

Como mudar hábitos e ter uma rotina mais produtiva? Acha que é impossível? A gente prova que não.

Como mudar hábitos e ter uma rotina mais produtiva

Como mudar hábitos, será impossível? Esse é um dos desafios da maioria das pessoas que almejam ter uma vida com mais propósito.

“Toda a nossa vida, na medida em que tem forma definida, não é nada além de uma massa de hábitos”

Essa frase foi dita por William James, filósofo e psicólogo americano, por volta de 1892. A maioria das escolhas que fazemos a cada dia pode parecer fruto de decisões tomadas com bastante consideração, porém não é. Elas são hábitos. E embora cada hábito signifique relativamente pouco por si só, ao longo do tempo, as refeições que pedimos, o que dizemos a nossos filhos toda noite, se poupamos ou gastamos dinheiro, com que frequência fazemos exercícios, e o modo como organizamos nossos pensamentos e rotinas de trabalho têm impactos significativos em nossa vida.

Um artigo publicado por um pesquisador da Duke University, em 2006, descobriu que mais de 40% das ações que as pessoas realizavam todos os dias não eram decisões de fato, mas sim hábitos.”

No famoso livro “O Poder do Hábito“, de Charles Duhigg, o autor nos apresenta uma boa noção do quanto é importante nos darmos conta da influência dos hábitos em nossa vida.

Quer adotar novos hábitos e não sabe por onde começar? Então vem com a gente e prepare-se para iniciar a sua nova rotina. =)

O Loop do Hábito e como mudar

O Loop do hábito possui três estágios: uma deixa, ou seja, um estímulo, que podemos interpretar como uma indicação quando o nosso cérebro entra em modo automático; rotina e recompensa. Como dito no livro:

“os hábitos surgem porque o cérebro está o tempo todo procurando maneiras de poupar esforço”.

Sendo assim, para que você visualize melhor, os três estágios são:

  • Estímulo
  • Rotina
  • Recompensa

Ou seja, se você deixar a sua rotina fluir sem nenhum esforço para mudá-la, como por exemplo, comer o que quiser sem pensar se aquele tipo de alimento lhe fará mal se consumido todos os dias, o seu cérebro vai transformar isso em um hábito. Portanto, para criar novos hábitos exige um esforço no início, mas depois valerá muito a pena.

Primeiro, é preciso definir uma rotina e descobrir qual o gatilho (deixa) que lhe impulsionará a praticá-la. E, por último, pensar em uma recompensa, ou seja, qual benefício terei ao transformar essa rotina em um hábito?

Cérebro não sabe diferenciar hábitos bons e ruins

O ideal é que você acompanhe a sua rotina ao longo do processo e defina sempre o mesmo horário, como por exemplo: para praticar exercícios ao menos três vezes por semana às 9h.

Isso facilitará que o seu cérebro entenda que aquele momento é a hora de praticar atividade física. Porém, isso será no inicio até você se acostumar e começar a agir de forma automática, praticamente sem esforço, é quando o adquirimos o hábito.

Charles explica que os hábitos nunca desaparecem. “Estão codificados nas estruturas do nosso cérebro e essa é uma enorme vantagem para nós, pois seria terrível se tivéssemos que reaprender a dirigir depois de cada viagem de férias”. Contudo, o nosso cérebro não sabe diferenciar hábitos bons de ruins. Por isso, ainda segundo Charles:

“É tão difícil criar o hábito de fazer exercícios, por exemplo, ou mudar a nossa alimentação. Uma vez que adquirimos uma rotina de sentar no sofá em vez de sair para correr, ou de fazer um lanchinho sempre que passamos por uma caixa de donuts, esses padrões continuam para sempre dentro de nossas cabeças. Segundo a mesma regra, no entanto, se aprendermos a criar novas rotinas neurológicas que sejam mais poderosas que esses comportamentos – se assumirmos o controle do loop do hábito – podemos forçar essas tendências nocivas a ficar em segundo plano.”

O anseio do hábito

Sabe aquela vontade de comer doce após o almoço? Você cria um anseio pela satisfação que o açúcar lhe dará e se você não consumir, ficará decepcionado. O anseio seria um prazer antecipado daquilo que você deseja, ao consumir um doce, por exemplo, a recompensa que lhe trará.

Qualquer pessoa pode usar essa fórmula básica para criar seus próprios hábitos. Quer fazer mais exercícios? Escolha um propósito, como ir para academia, por exemplo, assim que acordar, e uma recompensa, como um smoothie depois de cada sessão, ainda de acordo com o autor do livro.

“Então pense nesse smoothie, ou na injeção de endorfina que você vai sentir. Permita-se desfrutar antecipadamente da recompensa. Por fim, esse anseio vai acabar fazendo com que seja mais fácil entrar na academia todo dia. São os anseios que impulsionam os hábitos“.

Criando uma rotina

Você pode manter o mesmo sistema do loop do hábito. Mas vamos dar um exemplo: parar de fumar. Qual é a deixa para você fumar? o tédio? o estresse? gostar da nicotina?

Claro que os vícios em álcool ou cigarro são mais complexos e vão muito além disso, como explicados detalhadamente no livro, mas esse já é um começo. Você identifica a deixa (gatilho) e a recompensa ao fumar e muda a rotina. Ao invés de fumar, você pode criar uma nova rotina substituindo o cigarro mas com o mesmo gatilho e a mesma recompensa.

Quanto leva para criar novos hábitos?

Um estudo publicado no site Crescimento Contínuo e feito pela College London revelou que o tempo médio para criar um novo hábito é de 66 dias. Já hábitos mais complexos, como fazer 50 abdominais levam 84 dias.

A mudança de hábitos tem um segredo que a impulsiona

Sim e sabe qual é? Acreditar em algo superior que lhe dará forças para a mudança. Como disseram os cientistas, não precisa acreditar na existência de Deus, mas em que a mudança é possível.

Inevitavelmente, você terá um dia ruim e para alguém que tem o hábito de beber ou fumar isso seria a deixa para voltar a rotina. Por isso, ter fé em algo superior é o segredo. Acreditar que você pode superar o estresse sem o cigarro ou sem o álcool.

Conclusão

Fazer um estudo da nossa própria rotina identificando o que nos impulsiona a ter todos os dias as mesmas atitudes, o que interfere o nosso cérebro a não conseguir adquirir o hábito de treinar todos os dias, parar de fumar ou comer melhor. Tornar isso uma análise do seu próprio comportamento com certeza lhe ajudará na mudança.

Segundo Charles

“Se você quer parar de fumar, descubra uma rotina diferente que vá te satisfazer os anseios preenchidos pelo cigarro. Então, encontre um grupo de apoio, uma reunião de ex-fumantes, ou uma comunidade que vá ajudar você a acreditar que pode ficar longe da nicotina, e use esse grupo quando sentir que talvez você tenha uma recaída.”

Ele complementa em seu livro:

“Se você quer perder peso, estude seus hábitos para descobrir porque você realmente sai da mesa no trabalho para fazer um lanche todo dia, e então encontre outra pessoa para dar um passeio com você, para bater papo na mesa dela e não na lanchonete, um grupo que acompanhe juntos metas de perda de peso, ou alguém que também queira manter por perto um estoque de maçãs e não de batatas chips”.

A evidência é clara: se você quer saber como mudar um hábito, precisa encontrar uma rotina alternativa, e suas chances de sucesso aumentam drasticamente quando você se compromete a mudar como parte de um grupo.

A perseverança é essencial e cresce a partir de uma experiência comunitária, mesmo que esta comunidade possua apenas duas pessoas.

E aí, está pronto para iniciar uma nova rotina com hábitos mais saudáveis? Conta pra gente aqui nos comentários, queremos saber!


Parcerias: Curso Desenvolvimento Web